terça-feira, setembro 06, 2005

Chamem-me puta

Uma nota sobre o porquê de usar o termo puta, e não prostituta. Prostituta é uma palavra com muitas sílabas. Não serve para exprimir a verdadeira importância deste ofício. Às coisas verdadeiramente importantes na vida de alguém dão-se nomes com duas sílabas: papá; mamã; filha; filho; piça; rabo (prefiro dizer rabo a cu, exactamente porque rabo tem duas sílabas); cona; mamas; foda. E, claro está, puta. Chamar prostituta a uma puta é inferiorizá-la, negar-lhe o merecido lugar de destaque no panteão das nossas memórias mais estimadas. Porque tem tanto valor a recordação da primeira vez que o nosso papá e a nossa mamã nos levaram ao Jardim Zoológico, como a da primeira vez que uma puta nos fez vir numa pensão de terceira categoria perto do Instituto Superior Técnico. Acreditem em mim, que só falo do que sei. Posso não fazer ideia do que é o sorriso de uma criança quando vê pela primeira vez o elefante a tocar o sino com a tromba, mas conheço bem as lágrimas de alegria vertidas por muitos rapazes, que me escolheram para celebrar a noite em que completavam 18 primaveras, enquanto eu lhes fazia a primeira trombada. Ao longo de quase uma década nesta vida fui mamã para milhares de homens que queriam levar tau-tau no rabo com um pingalim porque não tinham comido a papa toda; fui papá para centenas de lésbicas reprimidas que só consegui tirar do armário depois de me vestir à técnico da NetCabo (coisa que também tive de fazer por muitos homens) e colocar um bigode falso (o qual elas acabavam invariavelmente por encontrar na manhã seguinte dentro das cuecas, e eles dentro do rabo); e dei cona, rabo e boca a todos quantos os quiseram preencher, às vezes com aparelhos a pilhas. Se há alguém que sabe o que custa fazer feliz uma pessoa, são as putas. A felicidade depende de boca na piça e piça na cona? 200 euros. A felicidade depende de boca na piça, piça na cona, e piça no cu? 250 euros. A felicidade depende de boca na piça, piça na cona, piça no cu, e outra vez boca na piça? É felicidade a mais. Vamos discutir o preço.
O valor da felicidade é a tabela de preços de uma puta. E o preço da felicidade não se discute. Nascer é de graça, porque quando se nasce não se escolhe o papá nem a mamã, mas quando se vai às putas há que pagar, porque se tem a oportunidade de escolher a puta da boca em que se quer pôr a piça (no caso dos homens), ou a puta da cona em que se quer roçar a rata (no caso das mulheres), ou a puta do dildo que se quer meter no rabo (também faço bichas; tenho clientes que vão aparecer naquele programa novo da SIC, o Esquadrão qualquer-coisa). Portanto, não me ofendam. Nunca me chamem prostituta, meretriz, ou alternadeira.
O que eu sou é puta. E puta de cabeça erguida, a não ser que esteja a fazer um broche daqueles bem aviados.

6 Comments:

At 11:41 da manhã, Anonymous Master Minder said...

Hello. Gostei da forma como o teu primeiro texto está escrito. Agora, aguardo para ver o que se segue... Felicidades.

 
At 1:08 da tarde, Blogger babaloud said...

Bem escrito, humor, preversão, tem tudo para ser um bom blog.
20 valores por esta apresentação, esperamos ver o que se segue.

 
At 5:11 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Boa,continua.Tens oestilo de uma Bovari.......

 
At 9:57 da tarde, Anonymous Anónimo said...

pois...tens uma grande imaginação e uma péssima vocação para escrever
E estou para mim que deves ser homem ressaibiado ou mal fodido e não mulher...quanto mais puta!
Tem mas é juizo!

 
At 12:26 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Não concordo caro anônimo. O gajo é mesmo puta. Mas o gajo até tem jeito para a puta da escrita...não sejas injusto! Já não acredito que o gajo não seja alternadeira! Os contos que nos conta, não são fruto de casos tão "romanceados" como os descreve. Ele conheceu lá no bar de alterne, as mais diferentes personalidades, isto é, os mais diferentes tipos de "necessitados" sexuais e a partir daí imaginou viagens, concertos ou noite de fodas, perdão, de fados! Algures na Av da Liberdade, ou em algumas das transversais, o que vem muito a propósito, o gajo lá andará como puta que é! E bem fodido, não tenho duvida! Estes textos são apenas a catarse de tanto apanhar na bilha!

 
At 9:56 da tarde, Anonymous vania said...

a lili marinho sempre foi puta isso nao tenha duvida o livro dela e uma farsa e o povo tem que saber

 

Enviar um comentário

<< Home